topo

Cuide do seu Intestino, Cuide do seu Bem-Estar

O intestino é responsável pela saúde do organismo sendo extremamente importante para a nossa qualidade de vida. De forma geral, o nosso intestino e o nosso trato gastrointestinal cumprem as seguintes funções: supervisiona o processo de digestão, promovendo o peristaltismo (contração muscular responsável pela progressão do conteúdo alimentar ao longo da maior parte do tubo digestivo), a secreção de sucos digestivos para digerir os alimentos, absorção e transporte de nutrientes, eliminação de resíduos e também de apoiar o sistema imunológico. Em outras palavras, o intestino é um órgão de fundamental importância e que exerce diversas funções essenciais à vida.

Ele é tão importante que hoje em dia a ciência vem apontando a sua relação com o cérebro, sendo reconhecido como um ‘órgão inteligente’ ou ‘segundo cérebro’. Isso acontece, pois, o intestino é o órgão do nosso corpo capaz de executar funções independentemente do sistema nervoso central (SNC), captando informações, processando-as e respondendo de acordo com a necessidade do momento. Ou seja, ele também pensa, decide e executa tarefas tal qual um cérebro.

Além disso, temos diversas células neuronais nos tecidos que revestem o intestino e o colón que possuem uma série de fibras nervosas que conectam o sistema nervoso entérico (esse sistema se estende do esôfago até o cólon) com o resto do sistema nervoso (enviando mensagens do intestino direto para o cérebro). Ou seja, essa comunicação bidirecional entre esses órgãos nos mostra que o estado emocional pode alterar a função do nosso intestino. Vários estudos mostram essa ligação entre a microbiota intestinal e o processamento emocional. Sendo que um intestino saudável vai afetar isso de forma positiva e um intestino em mal funcionamento também pode afetar isso, porém de forma negativa.

Também, o intestino afeta nas nossas emoções e humor uma vez que vários estudos demonstram que ele é capaz de produzir grande quantidade de substâncias, como os neurotransmissores serotonina e dopamina (responsáveis pela sensação de bem-estar, felicidade, sono e controle do apetite). Esses neurotransmissores colaboram para a motilidade intestinal, facilitando o seu funcionamento e também tem importante função no nosso sistema nervoso central. Você já percebeu que o ambiente e as nossas emoções mexem com o nosso intestino? Por exemplo, quando saímos de nossa rotina, estamos de férias ou vivenciando momentos estressantes e de pressão, nosso intestino logo responde a essas situações! Portanto, é bem perceptível essa relação entre um sistema digestivo saudável e a sensação de bem-estar físico e emocional. Na verdade, os intestinos também regulam nossa imunidade, funcionam como um órgão inteligente e afetam nossas emoções. Pois é, isso nos mostra que um ambiente intestinal saudável é extremamente importante para nosso bom humor, bom sono e até para perda de peso.

Também, como dito anteriormente, o nosso intestino possui uma grande relação com o nosso sistema imunológico (sistema esse defende o nosso organismo contra organismos infecciosos e outros invasores), sendo que o seu desenvolvimento depende dos tipos e quantidades de nossos microrganismos intestinais. Mas como assim microrganismos intestinais? Sim, o nosso intestino contém uma enorme variedade de bactérias (benéficas e maléficas) que formam a nossa microbiota intestinal. Nós precisamos dessas bactérias no intestino pois elas desenvolvem diversas funções como a manutenção da função imunológica e a saúde digestiva. A microbiota das pessoas varia de acordo com o hábito alimentar delas, entre outros fatores. Portanto, uma microbiota de uma pessoa que se alimenta de forma saudável terá um melhor equilíbrio de funcionamento do intestino e de todas as suas funções.

Os maus tratos contínuos ao intestino podem causar a disbiose intestinal, que é um estado no qual ocorrem mudanças qualitativas e quantitativas da microbiota, afetando o equilíbrio intestinal fazendo com que bactérias nocivas que colonizam esse ambiente se proliferem, podendo favorecer o aparecimento de diversos problemas tais como alterações de humor, falta de concentração, algumas doenças, entre outros. A reeducação alimentar é fundamental para o tratamento da disbiose, podendo ou não estar aliada a alguns suplementos como probióticos, simbióticos, entre outros, que favorecem e auxiliam na prevenção e tratamento de possíveis alterações intestinais. Deve se aumentar o consumo de vegetais, frutas e cereais e reduzir o consumo de alimentos processados, excesso de farinha refinada, sal e açúcar. Além disso, um estilo de vida saudável também favorece como a pratica de atividade física, bom sono e redução de ansiedade e estresse.

Podemos concluir que a saúde do nosso intestino está relacionada com a melhora e fortalecimento do sistema imunológico e qualidade de vida, gerando maior disposição e menor risco de doenças (conforme mostram alguns estudos). Afinal, nós não somos o que comemos, somos o que comemos, digerimos e absorvemos 😉

Hanna Vita

Deixe um comentário